O Telefonema Que Não Fiz

Oi, amores! ♥
Tudo bem?
Faz tempo que não apareço por aqui. rs'
A dica de hoje é um livro que quando terminei fiquei pensando porque diabos eu demorei tanto para iniciar a leitura. É um livro que indico para todos.
 A escrita mesmo sendo em primeira pessoa, não deixou a desejar (quem me conhece sabe que prefiro livros em terceira pessoa). A história é bem fluída.

Título: O Telefonema que não fiz
Autor: Jonas Zair Vendrame

Editora: Editora Skull
Onde encontrar: Amazon

Nota: 5 / 5 ☆

Sinopse:
Júlia era uma mulher bonita e de vida intensa, considerava-se imatura e gostava disso, apesar de seus 26 anos.
“O futuro não importa, somente viver o momento é a prioridade.”
Ao deixar de executar uma simples tarefa em seu trabalho para poder curtir o final de semana, tudo muda.
Não esperava que aquela negligência fosse ter consequências desastrosas, capazes de mudar a vida de muitas pessoas e principalmente a dela para sempre.
Suas tentativas de reparo agravam os problemas, até que a culpa começa a pesar demais e destruir seu psicológico. 
Um telefonema não feito, um erro, uma vida toda a se pagar.” 
Julia tem 26 anos, mas age como se ainda estivesse acabado de sair da adolescência. Uma mulher fútil, mimada e com um namorado mais velho que aceita tudo o que ela faz.
Ao receber uma simples tarefa extra, ela fica revoltada, mas fala que vai fazer. Seu namorado aparece no consultório, eles discutem e ela simplesmente deixa de fazer uma das ligações e sai com sua amiga. Só que ninguém esperava que essa ligação poderia mudar completamente a vida dela. Confesso que também mudou minha percepção de vida ler esse livro.
A história de Júlia nos faz refletir desde os primeiros capítulos. O que faríamos no lugar dela? Será que faríamos diferente? Seríamos negligentes com o trabalho só para nos divertir? E depois de ver que fizemos uma burrada, assumiríamos a culpa ou deixaríamos a vida seguir seu rumo?
O desenrolar da história e como os personagens são introduzidos nos aproxima mais de cada um e me fez algumas vezes querer que não houvesse julgamento.
A amizade que nasce entre Júlia e Winike, irmão da suposta vítima, e a maneira como ele enxergou toda a situação aqueceu meu coração, pois nos dias atuais as pessoas estão cada vez mais frias.
O modo como o autor introduz a doação de órgãos na história é muito bom. E a mensagem que ele deixou no final me deixou muito feliz.
Como o sentimento de culpa de cada personagem os consome e os fazem reagir de maneiras diferentes, uns buscando um meio de recuperar os erros, outros buscando colocar uma culpa que é só deles em outras pessoas.
Há também sentimentos maravilhosos, como o de Winike e Clarisse que irradiam luz por onde passam, deixando um pouco de Walkiria em todos os lugares.
Walkiria é uma mulher incrível e deixou um grande legado, não só para quem a conheceu, mas para todos que um dia ouvirão falar de sua história de vida e morte.
O livro inteiro nos traz reflexões sobre como estamos vivendo nossas vidas e quais atitudes tomamos e as consequências dessas atitudes. Mostra como o medo pode complicar uma situação que já é ruim.
De tudo o que li e refleti, a pergunta que mais me fiz foi "O que aconteceria se Júlia tivesse feito a ligação? Será que ela se tornaria uma pessoa melhor, assim como não ter atendido a ligação a fez?". Às vezes um erro pode mudar nosso destino, muito além disso, pode mudar como enxergamos e vivemos nossas vidas.
Fiquem com essa super dica.
Beijinhos, Kim.

2 comentários

  1. Esse livro parece ser bem interessante.
    Você vai colocar frases dele?
    Gosto quando separa quotes.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi, Fernando.
      Não vou.
      Obrigada. Vou separar mais nas próximas leituras.

      Excluir